Mais de 200 mil mortos pela Covid-19, com enorme contribuição do governo Bolsonaro

Rio de Janeiro RJ Ong Rio de Paz durante manifestação em Copacabana em memória aos brasileiros mortos pela Covid-19 no Brasil /foto Rio da Paz

No dia 07 de janeiro, no Brasil 200 mil mortes foram registradas para além da COVID-19, mas sim por um governo que não tem nenhum respeito pela dignidade e vida de milhões.

Pela Intersindical

Em novembro o sistema público de saúde já alertava para o aumento da contaminação pelo novo coronavírus e o que fez o governo da morte de Bolsonaro?  Seguiu negando a gravidade da pandemia, colocou em dúvida a eficácia da vacina, suspendeu a compra de seringas para vacinação, chamou sua corja para que junto à ele se aglomerassem no litoral paulista, debochando novamente da importância do uso de máscaras, da importância de evitar a aglomeração para diminuir o risco da contaminação e a cada dia atrasa ainda mais a imunização através da vacina.

Bolsonaro e seu governo são a face mais escancarada que mostra para que serve o Estado numa sociedade capitalista: esse ser asqueroso que ainda está na presidência  se diverte na praia num momento em que mais de 200 mil pessoas morrem pela COVID 19, é o mesmo governo que era  contra a garantir o auxílio emergencial para milhões de pessoas que não têm o básico para sobreviver,  acabou com o mesmo e se recusa a garantir qualquer política pública que proteja milhares que vão ser lançados na miséria absoluta, é o governo que a cada dia faz chacota da dor de milhões que perderam saúde, direitos, empregos e vidas.

Não são números, são seres humanos em que a grande parte é da classe trabalhadora: em Manaus não há mais leitos nas UTI’S para tratar COVID 19, as filas de sepultamento só aumentam, na maior e principal cidade do país, São Paulo os leitos de UTI novamente voltam a lotar e o governador do estado, João Dória/PSDB usa da vacinação como propaganda de si mesmo.

São mais de 200 mil mortes no Brasil, não são números, são seres humanos que tiveram as vidas arrancadas e são milhões lançados à fome, sem emprego, sem auxílio emergencial, sem absolutamente nada.

Quem segue morrendo em sua grande maioria são os trabalhadores, seus pais e mães, é a nossa classe que está indo para o corredor da morte do presidente saudoso da ditadura militar que só está preocupado em garantir seus interesses pessoais e segue na sua hipocrisia genocida que nega a pandemia, o adoecimento e as mortes, subserviente aos interesses daqueles que viram sua riqueza aumentar em meio à pandemia.

Lutar contra esse governo genocida e contra   esse sistema capitalista que se mantém através da exploração, da miséria e da morte é uma luta em defesa da vida. Não são números, são vidas, arrancadas de nós.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s