Patrões enrolam mais uma vez. Só com mobilização os Radialistas terão sua Convenção Coletiva assinada

Sindicato dos Radialistas participou de reunião virtual com os representantes dos patrões na última quinta-feira (06) e tiveram a desagradável informação de que essa reunião serviu apenas, para agendar uma outra reunião, para o dia 27 de maio. É brincadeira?!

Nem deu tempo de dar os cumprimentos de praxe, na reunião virtual de negociação com os patrões, que deveria acontecer na última quinta-feira (06). Serviu apenas para comunicar uma outra reunião. Segundo eles parte dos patrões ainda estavam avaliando a pauta enviada pelo Sindicato dos Radialistas em fevereiro. Na verdade foi mais uma enrolada dos patrões pra cima dos Radialistas. Propuseram a próxima reunião de negociação para o dia 27 de maio, no final deste mês.

Já passou da hora dos patrões percebem que sem os trabalhadores, rádio e TV não acontecem. Sem a força do nosso trabalho nada funciona em rádio e TV. Eles só ganham dinheiro a nossas custas sem a contrapartida que os radialistas merecem. Juntos temos de dar uma resposta a essa pouca vergonha dos patrões.

Convenção Coletiva de Trabalho da categoria só será assinada se os Radialistas quiserem. Mas só o desejo não basta. Tem de se mexer, junto com o Sindicato.

MP da redução de salários e suspensão de contratos

Governo reedita Medida Provisória de redução dos salários e suspensão dos contratos. Como no ano passado, a diretoria do Sindicato dos Radialistas orienta os trabalhadores da categoria a não assinar acordo individual com os patrões. Ao serem chamados para assinar qualquer documento nesse sentido, informem que a assinatura para esse acordo deve ser coletiva e com o Sindicato para os trabalhadores não ficarem no prejuízo.

STF julga processo sobre correção do FGTS

Correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço

Dia 13/5/2021 vai ser julgado no Supremo Tribunal Federal – STF –  o processo para saber se o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS – dos trabalhadores será corrigido por outro índice diferente da Taxa Referencial – TR. Se julgada procedente a ação, provavelmente, valerá para todos os trabalhadores e a própria Caixa Econômica Federal fará a correção e cada trabalhador poderá ir receber diretamente, tal como foi da última vez que o Supremo decidiu. Se contudo for necessário abrir um processo, o Sindicato estará orientando como será feito (se individual ou coletivo). Por enquanto a orientação é aguardar o julgamento.

Radialistas de Brasília e São Paulo realizam plenária virtual na próxima quinta-feira (29)

Trabalhadores de Rádio e TV do Distrito Federal e do Estado de São Paulo tem algo mais em comum do que, apenas, os mesmos patrões. Tem a má vontade deles em não querer fechar a Convenção Coletiva de Trabalho de suas respectivas categorias.

Ambos os Sindicatos dos Radialistas lutam e labutam para organizar suas categorias, que estão há anos, sem suas Convenções Coletivas de Trabalho assinadas.  A receita é a mesma para os trabalhadores; apenas com organização e mobilização, juntos aos seus sindicatos, que irão trazer os patrões para mesa de negociação.

Sem o fechamento da Convenção Coletiva todo esse tempo, brasilienses e paulistas tem um compromisso muito importante com seus respectivos sindicatos. Na próxima quinta-feira (29), às 19h, os radialistas se farão presentes virtualmente, por causa da Pandemia, para realização de uma plenária, que será realizada pela plataforma digital Google Meet, de forma separada e independente.  É na luta organizada que iremos garantir nossos salários e direitos.

Plenária dos Radialistas do Distrito Federal e São Paulo sobre a Campanha Salarial 2021 nesta quinta-feira (29), às 19h, através da plataforma Google Meet. Para participar da plenária clique aqui. Este link também será enviado através de mensagens via SMS e grupos de Whatsapp dos trabalhadores da categoria.
Participe!

Governo do estado nega solicitação do Sindicato dos Radialistas para incluir categoria como grupo prioritário para vacinação

Mesmo fazendo parte do setor considerado essencial e parte da categoria se expondo a contaminação, governo do estado de São Paulo negou a solicitação do Sindicato dos Radialistas para incluir a categoria como grupo prioritário para vacinação contra o coronavirus. 

Em resposta ao Sindicato no dia 26 de janeiro desse ano, como justificativa, o governo relata que “a disponibilidade limitada de doses da vacina, foi priorizada segundo os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. O escalonamento desses grupos populacionais para vacinação se dará conforme a disponibilidade de vacinas, após liberação para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)”, informa.

Trabalhadores caminhoneiros, portuários, industriais, de transporte coletivo metroviário, ferroviário, aquaviário, aéreo e rodoviário estão incluídos nos grupos prioritários de vacinação. Mas os Radialistas, que também exercem função essencial, não.

Considerada como setor essencial pelo governo federal, através do decreto 10.288/2020, no dia 22 de março do ano passado, os trabalhadores da área de comunicação, entre eles a categroia dos Radialistas, tem garantido o fluxo de informação, prestação de serviços e entretenimento a população. De lá pra cá, os radialistas não pararam, seja nos estúdios de rádio e TV ou fora deles, para fazer matérias, apurações jornalísticas e entrevistas, se expondo ainda mais a contaminação. Mas não foi o suficiente para o reconhecimento, pelo governo do estado, da necessidade de proteção desses trabalhadadores.

Os Radialistas, juntamente com os Jornalistas, seguem com suas funções, diariamente, garantindo que a população seja informada sobre a Pandemia no país, como número de contaminados, mortos, recuperados, dos cuidados necessários para evitar a contaminação, do processo moroso que se encontra o Plano Nacional de Imunicação, além de informações pertinentes sobre o funcionamento de órgãos do governo, sistema bancário e estabelecimentos comerciais.

Atualmente a categoria registra números expressivos de contaminações de radialistas e mortes, em todo país. Emissoras de TV, em alguns casos, já suspenderam gravação de programas, alteraram sua grade de programação, além de uma afiliada da TV Record, em  que suspendeu o funcionamento devido ao grande número de contaminados. 

Sindicato convoca associados para assembleia orçamentária virtual para próximo sábado (20)

O Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo irá realizar assembleia orçamentária no próximo sábado (20) e convoca todos seus sindicalizados, que estão em dia com suas obrigações estatutárias, para participar.

Destinadas apenas aos sócios ativos da entidade, as assembleias orçamentárias realizadas pela diretoria do Sindicato dos Radialistas consiste em apresentar sua gestão financeira do ano passado e proposta de orçamento para o ano subsequente, para serem discutidas e aprovadas pelos sindicalizados.

Os temas a serem discutidos e deliberados são;

a- prestação, apreciação e aprovação das contas (balanço financeiro e patrimonial) relativas ao exercício financeiro do ano de 2.020;

b- apresentação, apreciação e aprovação da previsão orçamentária do exercício financeiro de 2.021;

c- encontra-se a disposição para análise, na sede do sindicato a partir da presente data e até a data da realização da assembleia

 A assembleia irá ser realizada num sábado, dia 20 de fevereiro de 2.021, às 10h, em formato virtual, através da plataforma GOOGLE MEET e link será enviado via SMS, e-mail para os trabalhadores associados da entidade sindical. 

SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE

RADIODIFUSÃO E TELEVISÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, por seu diretor-coordenador infra-assinado, nos termos em que dispõem o artigo 8°, III da Constituição Federal e artigo 22 e seus parágrafos do Estatuto Social da Entidade, convoca todos os sócios em dia conforme previsto no artigo 5º do seu estatuto, para a Assembleia Geral Ordinária Orçamentária da entidade, a realizar-se no dia 20 de fevereiro de 2.021, às 10hs00min em formato virtual, através da plataforma GOOGLE MEET e o link será enviado via SMS, e-mail para os trabalhadores associados da entidade sindical, tendo como temário o que segue: a- prestação, apreciação e aprovação das contas (balanço financeiro e patrimonial) relativas ao exercício financeiro do ano de 2.020; b- apresentação, apreciação e aprovação da previsão orçamentária do exercício financeiro de 2.021; c- encontra-se a disposição para análise, na sede do sindicato a partir da presente data e até a data da realização da assembleia, a todos os sócios da entidade sindical, o balanço financeiro e patrimonial de 2.020.

São Paulo, 02 de fevereiro de 2021.

Sérgio Ipoldo Guimarães

Diretor Coordenador

Radialistas realizam Assembleia Virtual de Abertura da Campanha Salarial 2021 próxima quarta-feira (10)

Vai para quatro anos que os patrões se negam a assinar a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria – CCT. São perdas e mais perdas salariais sem uma CCT assinada. Na assembleia estadual virtual, todo trabalhador da categoria dos radialistas pode participar e votar para aprovação ou não, da pauta a ser negociada com os patrões. 

Qual radialista vai querer ficar sem o pagamento do PPR? E, ainda por cima, com demissões correndo solto nas empresas de Rádio e TV, sem a cobertura da Convenção Coletiva?!  É em tempos sombrios e de desespero que os patrões aproveitam para nos atacar e é justamente nesse período que devemos estar unidos para lutar. Nossa história de luta garantiu uma categoria organizada, um sindicato presente e uma legislação que regulamenta nossa atividade profissional.

Com os ataques do governo e dos patrões, os radialistas precisam retomar sua posição de defesa de seus interesses. E isso perpassa por garantir um sindicato forte e que continue presente na vida profissional dos radialistas. Para isso é fundamental fortalecer seu sindicato sendo sindicalizado. Entre no site do Sindicato e preencha sua proposta de sócio.

Trabalhador sindicalizado, tem sindicato para defender seus interesses, tanto contra os patrões, como contra o governo. Sindicalize-se.

Assembleia Estadual Virtual de Abertura da Campanha Salarial 2021

Quarta-feira (10), a partir das 19h, pela plataforma do Google Meet em link a ser compartilhado pelo site do Sindicato dos Radialistas

Mais de 200 mil mortos pela Covid-19, com enorme contribuição do governo Bolsonaro

Rio de Janeiro RJ Ong Rio de Paz durante manifestação em Copacabana em memória aos brasileiros mortos pela Covid-19 no Brasil /foto Rio da Paz

No dia 07 de janeiro, no Brasil 200 mil mortes foram registradas para além da COVID-19, mas sim por um governo que não tem nenhum respeito pela dignidade e vida de milhões.

Pela Intersindical

Em novembro o sistema público de saúde já alertava para o aumento da contaminação pelo novo coronavírus e o que fez o governo da morte de Bolsonaro?  Seguiu negando a gravidade da pandemia, colocou em dúvida a eficácia da vacina, suspendeu a compra de seringas para vacinação, chamou sua corja para que junto à ele se aglomerassem no litoral paulista, debochando novamente da importância do uso de máscaras, da importância de evitar a aglomeração para diminuir o risco da contaminação e a cada dia atrasa ainda mais a imunização através da vacina.

Bolsonaro e seu governo são a face mais escancarada que mostra para que serve o Estado numa sociedade capitalista: esse ser asqueroso que ainda está na presidência  se diverte na praia num momento em que mais de 200 mil pessoas morrem pela COVID 19, é o mesmo governo que era  contra a garantir o auxílio emergencial para milhões de pessoas que não têm o básico para sobreviver,  acabou com o mesmo e se recusa a garantir qualquer política pública que proteja milhares que vão ser lançados na miséria absoluta, é o governo que a cada dia faz chacota da dor de milhões que perderam saúde, direitos, empregos e vidas.

Não são números, são seres humanos em que a grande parte é da classe trabalhadora: em Manaus não há mais leitos nas UTI’S para tratar COVID 19, as filas de sepultamento só aumentam, na maior e principal cidade do país, São Paulo os leitos de UTI novamente voltam a lotar e o governador do estado, João Dória/PSDB usa da vacinação como propaganda de si mesmo.

São mais de 200 mil mortes no Brasil, não são números, são seres humanos que tiveram as vidas arrancadas e são milhões lançados à fome, sem emprego, sem auxílio emergencial, sem absolutamente nada.

Quem segue morrendo em sua grande maioria são os trabalhadores, seus pais e mães, é a nossa classe que está indo para o corredor da morte do presidente saudoso da ditadura militar que só está preocupado em garantir seus interesses pessoais e segue na sua hipocrisia genocida que nega a pandemia, o adoecimento e as mortes, subserviente aos interesses daqueles que viram sua riqueza aumentar em meio à pandemia.

Lutar contra esse governo genocida e contra   esse sistema capitalista que se mantém através da exploração, da miséria e da morte é uma luta em defesa da vida. Não são números, são vidas, arrancadas de nós.

Cadê o nosso PPR/Abono?

O PPR/abono é uma conquista dos radialistas, que há décadas ilustra nossa Convenção Coletiva de Trabalho –CCT e que ainda não foi assinada. Isso mesmo. Já é tradição toda a categoria receber parte do pagamento de nossa força de trabalho ao longo do ano. É um direito que nos cabe e não apenas enfiarmos grana no bolso dos patrões. Qual é a deles? Acontece que a Globo, tem um programa próprio de participação nos resultados, além do SBT, que esse ano vai dar um abono aos seus trabalhadores. A Globo quer retirar essa conquista de nossa convenção coletiva, para pagar apenas um benefício e não dois, como ela tem feito, já que o da convenção coletiva, quando assinada, é obrigatório.

Na verdade o PPR/abono é uma expressão de um programa de participação dos resultados – PLR, na qual a Globo e outras empresas, se amparam para conseguir benefícios do governo federal. Foi uma conquista da classe trabalhadora, que beneficiam, também, outras categorias.  Estamos falando de uma Lei que está na Constituição Federal e foi regulamentado em 2001, com a edição da Lei 10.101/2000. Independente da assinatura de um acordo, as empresas tem a obrigação de cumprir essa legislação, que garante o benefício aos trabalhadores.

Band, Record, Gazeta, entre outras, empresas, assinaram um acordo coletivo individualmente com o Sindicato para pagamento do PPR/abono nos últimos anos, já que a CCT não está assinada. Agora, além de não assinarem a convenção coletiva, não deram a menor satisfação, que seja, a respeito do nosso PPR/Abono de 2021. Com algumas exceções, não deram nenhuma antecipação da inflação, também. E vai ficar por isso mesmo, se os trabalhadores não se mexerem. O Sindicato já avisou a Globo e as demais empresas, que se comportam como mascote da família Marinho, que não irá retirar o benefício do PPR/abono da CCT. E por conta disso, além de muitas empresas ainda não darem nenhum reajuste, não querem pagar o PPR/abono, apostando que todos os radialistas irão ficar contentes e sorridentes, indo trabalhar saltitando de alegria nas empresas de Rádio e TV no estado.

Companheirada, novamente avisamos, se não querem perder mais um direito, tá na hora de nos organizarmos e a hora é agora.

Na verdade, em nossa opinião, a primeira que tomar uma greve, bem dada na cabeça, vai ser bem pedagógico para as outras. E podem acreditar que quando isso ocorrer, vamos querer mais, muito mais do que retomar nossa CCT, que recusam assinar.

Radialistas e Jornalistas da RTV Cultura realizam assembleias conjuntas nesta terça-feira (24)

Radialistas e Jornalisas da RTV Cultura discutem em assembleia, conjunta, posição do governo Dória e da Fundação Padre Anchieta de negar reajustes salariais até dezembro de 2021.

Assembleia será realizada na terça- feira (24), às 14 horas presencialmente, na porta da empresa e às 19h, de forma virtual, pela plataforma do Google Meet, com acesso ao link da assembleia por grupos de Whatsapp ou pelo site dos Radialistas e Jornalistas.

Com a desculpa de seguir norma legal (Lei complementar) o governo estadual e direção da Rádio e TV Cultura se negam a conceder reajustes salariais às duas categorias, que minguam quase uma década com perdas salariais significativas.

Todos sabem que assembleia cheia é munição nas negociações. São os trabalhadores que determinam se devemos esperar mais um ano sem nenhum reajuste salarial ou se a conversa vai ser diferente com quem não se importa com o bem estar e a vida da família de cada trabalhador da RTV Cultura.  

Todos à assembleia!

Assembleia Unificada Radialistas e Jornalistas da RTV Cultura

Dia: Terça-feira (24)

Em duas convocações:

14hs (presencial)

19h – virtual Google Meet (acesse o link pelo site de seu sindicato)

Sindicato dos Radialistas apresenta contra proposta aos patrões na negociação da Campanha Salarial 2018/2021

Sindicato propõe a manutenção dos direitos conquistados ao longo de décadas, entre eles, a data base para negociação anual de perdas e reposições salariais, PPR/abono anual, quinquênio, auxílio doença/acidente de trabalho, estabilidades no emprego (pré-aposentadoria, gestantes, etc.).

Depois de recebermos a proposta infame dos patrões o Sindicato dos Radialistas resgatou nossa convenção coletiva para, a partir dela, estabelecermos a base para negociação de nossa Campanha Salarial 2018/2021. Enquanto os patrões tentam se aproveitar da pandemia e da crise que ela possa estar gerando (que para os patrões está fazendo cócegas, pois os comerciais continuam a rodar nas emissoras de Rádio e TV), os radialistas, através de seu sindicato continuam tentando garantir nosso maior tesouro que são nossos direitos e a nossa liberdade de organização, justamente o que os patrões querem enterrar.

Depois de recebermos a proposta infame dos patrões o Sindicato dos Radialistas resgatou nossa convenção coletiva para, a partir dela, estabelecermos a base para negociação de nossa Campanha Salarial 2018/2021. Enquanto os patrões tentam se aproveitar da pandemia e da crise que ela possa estar gerando (que para os patrões está fazendo cócegas, pois os comerciais continuam a rodar nas emissoras de Rádio e TV), os radialistas, através de seu sindicato continuam tentando garantir nosso maior tesouro que são nossos direitos e a nossa liberdade de organização, justamente o que os patrões querem enterrar.

Para darmos sustentação ao sindicato é imprescindível a participação de toda a categoria. E uma forma de participação em tempos de pandemia é através de plenárias virtuais que o Sindicato tem chamado a categoria para participar.Não fique de fora. Sua participação é importante para darmos rumo em nossa luta e organização frente aos ataques dos patrões.