Próxima sexta-feira (07) centrais sindicais farão manifestação de luto e denúncia política das mortes por causa do governo Bolsonaro

No próximo dia 07 de agosto acontecerá manifestações em todas as regiões do país para denunciar a política genocida do governo Bolsonaro que tem como resultado até agora quase 100 mil mortes e mais de 2 milhões de contaminados.

DIA DE LUTA: EM DEFESA DA VIDA, DOS DIREITOS, EMPREGOS E SALÁRIOS

A luta é em defesa da vida, dos direitos, salários e empregos: o Capital se aproveita da pandemia para potencializar as saídas de sua própria crise, no mundo todo demissões em massa, retirada de direitos, arrocho salarial e o aumento da miséria.

No Brasil, nos dois primeiros meses de pandemia as empresas demitiram mais de 1 milhão de trabalhadores e agora já somos mais de 40 milhões sem emprego. As Medidas Provisórias impostas pelo governo Bolsonaro liberaram a redução de salários, ataque aos direitos e a continuidade das demissões.

Demitindo e aumentando a exploração, ricos cada vez mais ricos: estudo divulgado na semana passada mostra que os ricos ficaram mais ricos durante a pandemia da COVID 19. O patrimônio dos bilionários brasileiros aumentou US$34 bilhões. Segundo o estudo, entre março e julho o patrimônio de 42 bilionários do Brasil passou de R$ 629 bilhões, para R$ 839,4 bilhões.

O mesmo estudo constata que mais de 50 milhões de pessoas na América Latina ficarão abaixo da linha da pobreza durante a pandemia. Isso significa não ter o mínimo para sobreviver.

Enquanto os ricos concentram cada vez mais riqueza, a proposta de reforma tributária do governo da morte de Bolsonaro é premiar com isenção de impostos as empresas que fizerem contratações cada vez mais precárias, sem os direitos básicos como pagamento de FGTS, contribuição previdenciária entre outros.

Contra a carnificina imposta pelos patrões e seus governos não há outro caminho que não seja a luta do conjunto da classe trabalhadora: a Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora está em unidade de ação com as Centrais Sindicais e Movimentos Populares para a realização de um grande dia de luta no próximo 07 de agosto. Desde a madrugada assembleias com atraso nas entradas, panfletagens e diversas outras manifestações de rua tomando os devidos cuidados de distanciamento para evitar o aumento da contaminação acontecerão em todas as regiões do país.

Fortalecer a luta:

 – PELO ISOLAMENTO, ÚNICA FORMA DE IMPEDIR O AUMENTO DA CONTAMINAÇÃO.

– EM DEFESA DO EMPREGO, SALÁRIOS E DIREITOS

– PELA AMPLIAÇÃO DO VALOR E DAS PARCELAS DO AUXILIO EMERGENCIAL

– EM DEFESA DO SUS

– PELO AUMENTO DAS PARCELAS DO SEGURO-DESEMPREGO

– PELO NÃO RETORNO ÀS AULAS ENQUANTO DURAR PANDEMIA

– EM DEFESA DA VIDA E DOS DIREITOS, FORA BOLSONARO

Por questões de saúde funcionário da Globo e dirigente sindical do Sindicato dos Radialistas, sai da entidade e também da emissora

Devido ao adoecimento físico e psicológico, o companheiro Josué solicitou sua demissão da empresa e renúncia do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo

Ao sair da empresa e do Sindicato, Josué tomou uma decisão em defesa de sua saúde e da sua vida, sem abrir mão de continuar a luta em defesa da saúde e da organização dos colegas por melhores condições de trabalho. Pois, mesmo fora dos quadros da empresa e da diretoria Sindicato, Josué permanece como membro da comissão de Políticas Permanentes do Sindicato dos Radialistas.

Problemas de saúde

Em 2010 o companheiro Josué sofreu um acidente de trajeto que impactou sua vida normal. Primeiro porque as sequelas do acidente foram se agravando devido a postura da Globo de não seguir a orientação médica de readequação funcional, a ponto de, em 2015 ficar um ano afastado pelo INSS, pois desenvolveu uma série de outras lesões nos dois pés, o que os médicos chamam de tendinopatia bilateral. Desenvolveu, também, por problemas na coluna lombar, bursite e síndrome do túnel do carpo bilateral (todos esses problemas relacionados com o trabalho e pós acidente de trajeto, segundo orientação médica).  

Já em 2018 Josué foi internado com uma inflamação no intestino, mas ao receber alta, continuou sua vida profissional e política no Sindicato dos Radialistas, onde continuou a organizar os trabalhadores na Comissão de Políticas Permanentes, que atua, diretamente, com a saúde profissional dos trabalhadores. Em 2019 sofre o mesmo problema, chegando ao ponto de ser internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde ficou 4 dias. Preocupado com essa situação, de se tornar recorrente, devido a gravidade com que esteve internado, procurou atendimento médico especializado que diagnosticou seu problema de cunho psicológico, pois somado ao trabalho profissional, geravam stress e ansiedade, que não só o estava adoecendo, como sua família também. A orientação médica especializada era de que não ele poderia continuar atuando onde adoeceu.

História

Josué Brito dos Santos, começou a trabalhar na Globo como PJ em 1994. Trabalhou nessa condição na empresa até 1997, onde passou a trabalhar, como trabalhador terceirizado sendo que, em 2001, passou a integrar o quadro de funcionários da empresa. Ao compor o quadro de funcionários, uma de suas primeiras atitudes foi se sindicalizar, compondo então o grupo de trabalhadores sindicalizados na empresa e, em 2015, fez parte da chapa eleitoral que foi eleita para dirigir a entidade sindical e ficou, desde então.

Diretoria do Sindicato dos Radialistas e colegas de trabalho desejam muita saúde e sorte em sua nova jornada, que não deixa de ser uma caminhada de luta, pelos interesses de nossa classe.

Presidente do grupo Globo fala uma coisa, gestores da emissora, dizem outra

Além da empresa não se entender com o discurso do presidente do grupo Globo, emissora promove demissões, que já passam de dezenas. E não deve parar.

No último dia 30 de maio, o presidente do Grupo Globo fez uma live para explicar aos trabalhadores o inexplicável, que por conta da diminuição de apenas 4% das receitas de   2018 para 2019, por conta da pandemia e das novas tecnologias o Grupo Globo iria acelerar o processo de reestruturação, trocando em miúdos   significa, corte de pessoal.

E desde então a TV Globo, em SP, não parou de demitir, já são dezenas de trabalhadores que perderam seus empregos nas últimas semanas no meio de uma pandemia global, com a ajuda de um governo e um congresso pró mercado (patrões).

Em janeiro deste ano o Sindicato dos Radialistas chamou os trabalhadores da emissora para greve, quando a empresa alterou o plano de saúde, discriminando os que mais precisavam, mas não houve adesão ao chamado. A proposta era, além da volta do convênio, pressionarmos a direção da empresa para assinar a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, que está atrasada há mais de três anos. Se a greve tivesse emplacado, não só os direitos estavam garantidos, mas os termos de qualquer demissão na emissora, não seria em condições tão desfavoráveis como está sendo agora.

Na mesma live o presidente do Grupo, informou aos trabalhadores que aqueles com salários mais baixos (que são a maioria dos trabalhadores do Grupo Globo), receberiam uma “esmola” da empresa nos 4 meses seguintes a demissão:

– 4 meses de plano de saúde.

– 4 meses de ticket refeição.

O problema é que os gestores, na hora da demissão, não informam isso aos trabalhadores, uns dizem que é apenas o plano de saúde por 3 meses, outros o ticket refeição por 3 meses.

Será  que  o Presidente do Grupo Globo, foi mal informado para fazer a live e não sabia o que estava prometendo?

Só nos resta lamentar, pois há mais de 3 anos estamos chamando os trabalhadores para a luta.

O Sindicato não cansa de avisar os trabalhadores que esse dia chegaria, que a cada ano sem convenção coletiva assinada, dão mais força aos patrões, que só venceremos essa guerra se estivérmos unidos, pois só coletivamente somos mais fortes, mas os trabalhadores preferiram acreditar no “canto da sereia”, no individualismo, onde o outro colega de trabalho passou a ser um adversário e não seu semelhante. Dessa forma, adormecem num “berço esplêndido” e acordam num pesadelo, que só tem saída com a organização junto com o Sindicato.  Vamos lembrar que aquele trabalhador que estiver em tratamento médico, não poderá ser demitido e deve avisar o seu gestor desse problema de saúde e do tratamento que vem realizando, por e-mail.

Não aceitar ser demitido sem um exame médico demissional, quem contraiu Covid-19 no trabalho, tem direito a estabilidade de 1 ano. Para isso é necessário pedir a empresa que emita a CAT -Comunicação de Acidente de Trabalho, se a empresa se negar, procure o sindicato para que o documento possa ser emitido pela entidade.

Reunião Virtal com os trabalhadores da Globo

Próximo sábado (11), às 19h, será realizada um reunião com os trabalhadores da Globo pelo Google Meet. Todos trabalhadores da empresa, da categoria dos radialistas, estão convidados a participar. O link será compartilhado pelo Whatsapp do grupo de trabalhadores da emissora.

Quinta-feira (09) radialistas e jornalistas da RTV Cultura tem assembleia virtual da Campanha Salarial 2020/2022

Nesta quinta-feira (09), às 13hs30min em primeira convocação e às 14hs00min, em segunda convocação, com o turno da manhã; e às 18hs30min em primeira convocação e 19hs00min em segunda convocação, será realizada a assembleia extraordinária virtual de abertura da Campanha Salarial 2020/2022 dos Radialistas e Jornalistas da RTV Cultura.

Devido a Pandemia do coronavírus a assembleia dos trabalhadores será realizada para as duas categorias e de forma virtual. Será discutido e votado a seguinte pauta: 1) apresentação, discussão, elaboração e aprovação da pauta unificada de reivindicações, que deverá se constituir na proposta de Acordo Coletivo de Trabalho, para o período 2020/2022. E que deverá ser encaminhada ao representante legal da empresa Fundação Padre Anchieta-Centro Paulista Rádio e Televisão Educativas.

Também será dado autorização para dar início as negociações coletivas; autorização para firmar Acordo Coletivo de Trabalho-
ACT;  autorização para suscitar Dissídio Coletivo; para decidir sobre a necessidade e conveniência de instituir taxa assistencial para o custeio das entidades e, também, para manter a assembleia aberta em caráter permanente cuja convocação para as próximas será feita via boletins sindicais virtuais. Por último poderá ser discutido assuntos gerais pertinentes à Campanha salarial 2020/2022. 

A proposta de pauta está nos sites do Sindicatos dos Radialistas e dos Jornalistas

Pelo Whatsapp o link da plataforma Google Meet

O link, para assembleia virtual, na plataforma Google Meet, deve ser solicitado pelo Whatsapp dos representantes dos Sindicato dos Radialistas e Jornalistas: Sérgio Ipoldo 011 995236779, José Carlos 011 974063466 e Evany 011 988624487

Os contatos servem para autorizar entrar na sala virtual da assembleia

SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE

RADIODIFUSÃO E TELEVISÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS NO ESTADO DE SÃO PAULO

Edital de Convocação – Assembleia Geral Extraordinária Virtual Unificada

O Diretor Coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, e o Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, nos termos dos estatutos das Entidades e conforme a legislação vigente, convocam todos os empregados (as) Radialistas e Jornalistas da Empresa Fundação Padre Anchieta-Centro Paulista Rádio e Televisão Educativas, para participarem de Assembleia Geral Extraordinária Virtual Unificada, a realizar-se no dia 09 de julho de 2020, às 13hs30min em primeira convocação e às 14hs00min em segunda convocação com o turno da manhã; e às 18hs30min em primeira convocação e 19hs00min em segunda convocação com o turno da tarde de forma virtual pela plataforma Google Meet, para discutir e votar a seguinte pauta: 1) apresentação, discussão, elaboração e aprovação da pauta unificada de reivindicações, que deverá se constituir na proposta de Acordo Coletivo de Trabalho, para o período 2020/2022, a ser encaminhada ao representante legal da empresa Fundação Padre Anchieta-Centro Paulista Rádio e Televisão Educativas; 2) autorização para dar início as negociações coletivas; 3) autorização para firmar Acordo Coletivo de Trabalho; 4) autorização para suscitar Dissídio Coletivo; 5) decidir sobre a necessidade e conveniência de instituir taxa assistencial para o custeio das entidades; 6) Manter a assembleia aberta em caráter permanente cuja convocação para as próximas será feita via boletins sindicais virtuais;  7) assuntos gerais pertinentes à Campanha salarial 2020/2022.

São Paulo, 03 de julho de 2020. Sérgio Ipoldo Guimarães – Diretor Coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, e Paulo Leite Moraes Zocchi – Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

Sindicato chama votação virtual dos trabalhadores da Record SP sobre PPR 2019

Direção da Record propõe alterar forma de pagamento do PPR de 2019, por isso o Sindicato dos Radialistas convoca dos trabalhadores da TV Record da Capital para votação virtual.

O Sindicato dos Radialistas recebeu e-mails da direção da Record TV, de São Paulo, pra ver a possibilidade de dividir o pagamento do PPR em 2 (duas) parcelas: A primeira de 50% no pagamento de julho (dia 6 de agosto) e os outro 50% no pagamento de outubro (dia 7 de novembro). Lembrando que decidimos em assembleia que seria pago o PPR de 50% do salário base. E a nova proposta da emissora é dividir esses 50% em dois pagamentos.

É praxe do Sindicato dos Radialistas consultar os trabalhadores, a respeito de seus interesses e, por isso, a entidade sindical irá realizar uma consulta virtual através de votação no site do Sindicato, devido as orientações de isolamento social pelas autoridades de Saúde e governamentais.

Todo o trabalhador da categoria dos Radialistas tem direito ao voto, bastando fazer sua identificação em local próprio no site do Sindicato, no período de 02/07/2020 (quinta-feira) a partir das 7h e se encerra no dia 04/07/2020 às 15hs.

Os Radialistas, através de seu Sindicato, conquistaram direitos históricos, como a regulamentação da profissão, carga horária reduzida para diversas funções, hora extra a 100%, quinquênio e o adicional noturno a 30%. Percentuais acima da legislação trabalhista. E, tudo isso, devido a participação dos trabalhadores nas instâncias de participação da categoria como assembleias, encontros, congressos, plenárias e votações. Por isso, participar desse processo de votação confirma o compromisso dos trabalhadores da Record de São Paulo em fazer valer seus interesses, junto com o Sindicato, que faz essa consulta.

VOTAÇÃO

Para votar a página com as opções estará disponível 5 minutos antes do início da votação aqui e na página inicial do site do Sindicato dos Radialistas (www.radialistasp.org.br).

Sindicato dos Radialistas emite comunicado às empresas de Rádio e TV sobre a Pandemia do Coronavírus

Imagem: reprodução internet

O Sindicato dos Radialistas emitiu comunicado às empresas, com orientações de procedimentos de organização de trabalho e funcionamento para as empresas, para garantir a saúde de todos e proteção à vida dos trabalhadores e trabalhadoras

COMUNICADO


Às empresas de Radiodifusão e Televisão no estado de São Paulo

Ref.: Sugestões para o funcionamento das empresas na crise da pandemia de coronavírus.

Senhores,

O objetivo da presente é apresentar as direções das empresas sugestões sobre o funcionamento das empresas,  durante a vigência da pandemia do coronavírus que estamos enfrentando.

Antes de tudo, vale lembrar, que é fundamental o atendimento integral às recomendações das autoridades sanitárias e de saúde pública para o enfrentamento da pandemia, especialmente a imperiosa necessidade de um crescente isolamento social, isto é, que as pessoas permaneçam dentro de suas casas e adotem todas as medidas de prevenção amplamente divulgadas como lavar bem as mãos com água e sabão ou use álcool gel 70%, cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir, evitar aglomerações, manter os ambientes limpos e bem ventilados, não compartilhar objetos pessoais etc.

Conhecemos, entretanto, o potencial desestruturador da pandemia nas relações de trabalho nas empresas, sendo possível prever que medidas de enfrentamento do impacto econômico da pandemia sejam eminentemente medidas de defesa dos negócios, não dos empregos e dos direitos dos trabalhadores.

Assim sendo, nossa principal orientação neste momento, sintonizada com as instruções das autoridades sanitárias e de saúde, é diminuir o quadro de trabalhadores dentro das empresas.  É possível reduzir substancialmente a presença desses trabalhadores ao se estabelecer plantões, horários reduzidos. Abaixo, seguem outras orientações:

A) reduzir ao máximo a presença dos empregados nas empresas, deixando os trabalhadores em casa, especialmente os acima dos 60 anos, mulheres grávidas, portadores de doenças crônicas, graves e imunodepressivos, pais/mães com crianças sem aula (obs; os trabalhadores deverão ser comunicados oficialmente pelo RH da empresa, com garantia da manutenção de sua remuneração salarial);

B) no período de redução da circulação, fomentar jornadas de trabalho com horários de entrada e saída alternativas, que evitem circulação no transporte público em horários de pico. Além disso, estabelecer medidas temporárias como o home office, com estabilidade e garantia da renda do trabalhador;

C) garantir que as empresas promovam a vacinação antecipada de trabalhadores/as contra a gripe, custeada pelas empresas e conforme campanha nacional de vacinação do SUS, que terá início em 23/03/2020. Essa iniciativa auxilia na redução das possibilidades de equívocos no diagnóstico do vírus, reduz a demanda ao serviço público de saúde devido a outras doenças, como a gripe, e evita que pessoas debilitadas contraiam o coronavírus;

D) durante o período de redução da circulação de pessoas, suspender as atividades laborais até sua completa higienização, quando forem confirmados casos de coronavírus nas empresas, garantindo proteção à saúde e à vida dos trabalhadores e trabalhadoras;

E) no período de redução da circulação de pessoas, considerar como falta justificada aquelas realizadas pelos trabalhadores e trabalhadoras, que ficarão em casa para acompanhar os filhos de até 12 anos, por força da suspensão das atividades escolares presenciais;

Todavia, está num horizonte muito próximo o agravamento exponencial da pandemia, que pode levar o governo a decretar medidas cada vez mais restritivas de circulação de pessoas, de funcionamento das empresas, as quais deverão ser cumpridas à risca por todos.

E, finalmente, esperamos que nenhuma empresa imagine a possibilidade de proceder ou promover compensação de licença maternidade, férias, etc., de qualquer período não trabalhado por parte de seus funcionários, pois constitui-se-ia, não somente ilegalidade, como desumanidade, face a situação que estamos vivendo, atualmente, no planeta.

São Paulo, 18 de março de 2020

O dia Internacional da Mulher é um marco para consciência de classe e de luta pela igualdade de gênero

As mulheres trabalhadoras estão em permanente processo de luta por espaço e de reconhecimento. Seja na família, no local de trabalho ou em instituições de ensino. As reformas promovidas pelo governo Bolsonaro, atingem em cheio os trabalhadores e, principalmente as trabalhadoras, que no caso da Previdência, demorarão mais para se aposentar.

Na reforma da Previdência Bolsonaro aumentou a idade para aposentadoria de homens e mulheres, passou por cima da dupla jornada que as trabalhadoras têm que enfrentar que inclui o serviço doméstico e o trabalho fora de casa.

O serviço doméstico, que é muitas vezes cuidar dos filhos sozinha, garantir comida pronta e roupa limpa, continua sendo um serviço imposto às mulheres: serviço que não é pago, e que os patrões se aproveitam para explorar o conjunto da classe trabalhadora. Você já pensou o estrago que seria para os patrões que se aproveitam do serviço doméstico, se ele não acontecesse?

Retirada de direitos atacam ainda mais as mulheres: na Medida Provisória 905, Bolsonaro aprofunda a reforma trabalhista dos patrões. O governo criou uma contratação em que os trabalhadores de 18 a 29 anos só poderão receber até um salário mínimo e meio e os direitos serão reduzidos.

A reforma trabalhista não gerou mais empregos, ao contrário, aumentou as demissões, retirou direitos, piorou as jornadas e diminuiu os salários: as mulheres continuam recebendo salários inferiores que os homens, se forem negras os salários são ainda piores, e na reforma trabalhista, as trabalhadoras foram as mais atingidas.

Na hora das demissões, as mulheres em muitos lugares são as primeiras a irem para o facão. Com a ampliação dos contratos temporários para até 12 meses, os patrões estão passando por cima de direitos, como estabilidade e licença maternidade.

História

Na Alemanha, em 1911, iniciou-se a comemoração do primeiro Dia da Mulher Trabalhadora. Fez tanto sucesso que se espalhou pelo continente europeu e em 1913, o dia Internacional da Mulher, foi transferido para o dia 8 de março, que permaneceu como o dia de militância das mulheres trabalhadoras.

Mais do que ser um dia comemorativo, é um dia de consciência e luta para que as mulheres tenham reconhecidos seus direitos de igualdade de gênero.

Sindicato dos Radialistas realiza assembleias regionais no interior do estado

Todos os trabalhadores da categoria dos radialistas das regiões de Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Santos estão convocados para participar da assembleia regional. Compareça!

Todos os anos a diretoria do Sindicato dos Radialistas realiza as assembleias regionais, para que os trabalhadores possam participar na sua região levando suas propostas para convenção coletiva que deverá ser negociada com o patronal.  

A assembleia também deliberará conceder poderes a diretoria do Sindicato pra negociação da pauta, celebrar a convenção coletiva/instaurar dissídio, autorização para desconto em folha de pagamento da Contribuição Assistencial e manter a assembleia aberta em caráter permanente, cuja convocação para as próximas será feita via boletim sindical Antena Ligada.

Acompanhe abaixo as cidades, locais, endereços, datas e horários em que irão acontecer as assembleias regionais no interior do estado de São Paulo;

Assembleia Regional Araçatuba

Sexta-feira dia 14/02, às 19hs (segunda chamada) – SUBSEDE Rua Euclides da Cunha, 237 – Bairro Bandeirantes – Araçatuba-SP

Assembleia Regional Bauru

Quinta-feira dia 13/02, às 18h30 (segunda chamada)  SUBSEDE –Rua Bandeirantes 12-50  Centro  Bauru-SP

Assembleia Regional Campinas

Quinta-feira dia 13/02, às 19h (segunda chamada)  SUBSEDE – Rua Dr. Quirino nº 560 – Centro – Campinas – SP

Assembleia Regional Presidente Prudente

Quarta-feira dia 12/02, às 19h30 (segunda chamada)  – Endereço: Rua René Antonio Sanches nº 344 – Bairro Mario Amato – Presidente Prudente-SP

Assembleia Regional Ribeirão Preto

Sexta-feira dia 14/02, às 19hs (segunda chamada) – SUBSEDE Rua Alvares de Azevedo, nº 432 – Vila Tibério – Ribeirão Preto – SP

Assembleia Regional Santos

Quinta-feira dia 13/02, às 19h (segunda chamada)  – Endereço: Avenida Ana Costa nº 55  Vl Matias – Santos – SP

Próximo sábado (15) assembleia estadual dos Radialistas

Próximo sábado (15), às 11h da manhã, o Sindicato dos Radialistas realiza assembleias estaduais para abertura da Campanha Salarial 2020 e Orçamentária, onde é feito a prestação de contas para o quadro associativo da categoria.

Pauta de negociação e orçamento do Sindicato

Como todos os anos o Sindicato dos Radialistas realiza duas assembleias para os trabalhadores da categoria. Uma em que os trabalhadores discutem e aprovam propostas a serem negociadas com os patrões, na data base da categoria e outra, para prestação de contas do que foi gasto, previsão orçamentária e onde os recursos da entidade devem ser utilizados.

Sua presença é necessária

Não adianta esperar que aumento e benefícios caiam do céu. O trabalhador consciente e organizado tem de comparecer na assembleia e se inteirar do que acontece com sua profissão. Muitos trabalhadores são demitidos e prejudicados, em grande parte, por não terem consciência de seus direitos. E a consciência surge apenas se houver iniciativa do trabalhador em se informar. E qual o melhor lugar para isso? No seu sindicato.

Trabalhadores da capital e do interior do estado estão sendo mobilizados a participarem da assembleia estadual para apresentarem suas propostas, que ampliem os direitos que a categoria conquistou ao longo de sua história. Procure um representando do sindicato, mais próximo, para participar.

Assembleia Estadual

Sábado, 15 de fevereiro 2020, às 11h da manhã

Rua Conselheiro Ramalho, 992 – São Paulo

Trabalhadores da Rádio Clube de Mirandópolis podem entrar em greve neste sábado (8)

Foto: Ronaldo Verneck Sindicalistas conversam com trabalhadores em visita à emissora.

Em assembleia realizada no dia 28 de janeiro, os trabalhadores rejeitaram parcialmente a proposta apresentada pelo patrão, aceitando, apenas, o parcelamento de parte do débito devido e deram ultimato à empresa, para pagamento de parte da dívida até próxima sexta-feira (7)

Cansados de esperar e, há meses com a falta de pagamento de salários e benefícios, os trabalhadores da Rádio Clube de Mirandópolis aprovaram uma contra-proposta, que foi encaminhada a direção da empresa para que os débitos sejam sanados, atendendo a necessidade dos trabalhadores. A contra proposta consiste no pagamento imediato de 50% do valor devido e o restante podendo ser parcelados em até oito vezes.

Os trabalhadores amargam limites de crédito estourados no banco, atrasos de pagamentos de aluguel, cartão de crédito, contas de energia e água, sem falar a maneira humilhante de informar aos estabelecimentos comerciais da cidade, de que seus compromissos financeiros não puderam ser honrados pelo descaso com que o assunto vem sendo tratatado pela direção da empresa.

Os trabalhadores seguem mobilizados, na esperança de que tudo se resolva da melhor forma, já que sua maior contribuição foi o compromisso profissional de manter a empresa funcionando, todo esse tempo, garantindo aos ouvintes informação, entretenimento e utilidade pública, mesmo com salários e benefícios não pagos. Da outra parte, o mínimo que se espera, é o pagamento dos débitos, agora, facilitado pela decisão dos trabalhadores.