Com salários atrasados, trabalhadores da Rádio Clube de Guaratinguetá dão ultimato a empresa

Radialistas da Rádio Clube FM de Guaratinguetá estão com salários e benefícios atrasados. Em assembleia realizada na última quarta feira (16), decidiram esperar o pagamento dos salários até sexta feira (18), se isso não ocorrer, os trabalhadores entram em greve às 0h de sábado.

Ao todo, são 12 trabalhadores que esperam, o mais breve possível, um posicionamento da direção da empresa para acertar as irregularidades, que vão desde férias vencidas, não pagamento do vale refeição e salários atrasados. A empresa também não tem recolhido a contribuição do INSS, nem o fundo de garantia por tempo de serviço – FGTS.

A Rádio Clube FM de Guaratinguetá, interior de São Paulo, tem histórico de descumprimento da legislação trabalhista e de atrasos nos pagamentos. Em setembro de 2015 os trabalhadores decretaram em greve pelos mesmos motivos.

Segundo levantamento feito pelo site dos Radialistas, há boatos de que a empresa possa ser arrendada ou vendida para outro grupo comercial. Na assembleia dos trabalhadores, eles decidiram que, além de entrarem em greve a partir de sábado, caso não haja os pagamentos, devem se reunir com a direção da empresa e eventural grupo comercial, já na segunda feira (21), que estão interessados pela compra ou arrendamento da empresa, para deixar claro como será regularizado as pendências trabalhistas.

Anúncios

Com desculpa do avanço tecnológico, maior empresa de comunicação do país demite trabalhadores, sem consideração

Rede Globo de Televisão abocanha o maior naco do mercado publicitário do Brasil e sua dianteira não se resume apenas no faturamento, mas em demissões de trabalhadores mais velhos de casa, trabalhadores com doenças ocupacionais e até com câncer.

Recentemente o Departamento de Jornalismo e de Tecnologia da TV Globo reuniu suas equipes de reportagens para informar aos trabalhadores radialistas que a maioria dos Operadores de Unidade Portátil Externa- UPE seriam demitidos. Questionados pelos repórteres cinematográficos, que se sentiram preocupados com a demissão em massa destes profissionais e, com a mudança em suas rotinas de trabalho, já que teriam, além de operar a câmera, serem responsáveis pela iluminação e captação do áudio, a direção do Jornalismo propôs que as demissões alcancem apenas metade das equipes de reportagem, números que podem chegar entre 70 e 100 trabalhadores demitidos no setor.

Com a aquisição do chamado “kit light”, nomenclatura usada pela empresa para identificar equipamento que reúne vídeo, áudio e iluminação, segundo a empresa, sem perda de qualidade, esses profissionais seriam descartáveis a empresa informou que a decisão já está tomada. As demissões na Globo fazem parte uma postura da empresa em não garantir o emprego, de quem garante a qualidade técnica de suas reportagens, além de obstruir qualquer tentativa de assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho – CCT da categoria, que se arrasta para dois anos. A representação da TV Globo é quem comanda o Sindicato Patronal e tem barrado qualquer tentativa de acordo, até mesmo individual, com outras empresas do setor, o Sindicato dos Radialistas, informa que, já que não consegue assinar a CCT com o Sindicato Patronal, está assinando acordos coletivos individuais com as empresas do setor, para garantir aos trabalhadores Radialistas, além do reajuste de salários e benefícios econômicos, os direitos conquistados por décadas em sua convenção coletiva.

Considerado como gravíssimo a informação das demissões, o Sindicato dos Radialistas já anunciou assembleia com os trabalhadores da empresa no próximo sábado (12) às 11h, na sede do Sindicato.
Para os que ficam a empresa não deixou claro por quanto tempo irá garantir o emprego. Pode ser um balão de ensaio, daqui um ano, alguns meses ou semanas, o restante estará na rua. Isso só irá ocorrer, claro, se os trabalhadores não se mobilizarem antes.

Eleições Sindicais: Radialistas vão às urnas nos dias 24, 25 e 26 de setembro para escolha de nova diretoria do Sindicato

Nos dias 24, 25 e 26 de setembro os Radialistas do estado de São Paulo escolhem nova diretoria do Sindicato dos Radialistas para o triênio 2019-2022.

Milhares trabalhadores sindicalizados da categoria dos Radialistas e com direito a voto, poderão depositar em urnas itinerantes e fixa, os votos que irá eleger a nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em empresas de Radiodifusão e Televisão no estado de São Paulo.

Houve apenas uma inscrição de chapa, que é composta de 36 integrantes, que são trabalhadores de empresas de Rádio e TV do interior e da capital paulista. Boletins da chapa 1, intitulado “Chapa dos Radialistas em Defesa do emprego, direitos e melhores condições de trabalho – Intersindical”, foram distribuídas em diversas cidades do estado de São Paulo, como forma de apresentar o quadro de integrantes da chapa, bem como a plataforma de luta para o mandato à frente do sindicato da categoria.

Em meio a ataques do governo e dos patrões, a participação dos radialsitas no processo eleitoral, que irá eleger a nova diretoria, deve ser uma resposta a altura aos patrões que vem tentando a, todo custo, retirar direitos dos trabalhadores. Além do mais, manobras dos patrões, com interesse de enfraquecer o sindicato tem se notado na orientação dos trabalhadores para encerrar suas constribuições financeiras. O Sindicatao é instrumetno de defesa e luta por direitos e as categorias sem representação política, que defenda os interesses da classe, acaba fazendo com que os trabalhadores se tornem vítimas mais constantes dos interesses das empresas. O que não é diferente com os Radialistas, com a diferença de que há compromisso ideológico em não retroceder em nenhum direito a menos, com rumo a novas conquistas.

Eleição Sindical do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo

Dias, 24, 25 e 26 de setembro (terça, quarta e quinta feira).

Em todo estado, urnas itinerantes serão levadas por mesários nas empresas de Rádio e TV, para coleta dos votos dos trabalhadores da categoria, que estejam sindicalizados e em dia com suas obrigações estatutárias.

Fórum de Debates: Sábado (21), Câmara de Vereadores de Sumaré promove debate em comemoração ao dia do Radialista

Câmara de Vereadores da cidade de Sumaré

No dia 21, sábado, Dia do Radialista, a partir da 9h30 na Câmara Municipal da cidade de Sumaré, será realizado o Fórum de debates em comemoração ao “Dia dos Radialistas: a luta pela democratização dos meios da comunicação e a defesa dos direitos trabalhistas dos radialistas e a saúde do trabalhador.

Estarão presentes:

– Jerry de Oliveira, radialista, locutor e comunicador da Rádio Comunitária Noroeste FM, de Campinas.

– Arnaldo Marcolino, radialista aposentado, foi trabalhador na TV Globo e do SBT, é diretor nacional de projetos do DIESAT e membro da Comissão de Políticas Permanentes do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo.

– Alexandre Mandl, graduado e especialista em direito constitucional pela Puc-Campinas, mestre em desenvolvimento econômico pela Unicamp, membro da Rede Nacional de Advogado(a)s Populares, atua como advogado para vários movimentos sociais, dentre eles, em defesa da luta das rádios comunitárias.

Eleição Sindical: Prazo se encerra e apenas uma chapa faz inscrição para eleição no Sindicato dos Radialistas de São Paulo

Como determinado pelo regimento eleitoral, aprovado em assembleia da categoria, encerrou-se na tarde desta terça feira, 10 de setembro de 2019, as inscrições de chapa para o processo de eleição de 2019 do Sindicato dos Radialistas de São Paulo.

Houve apenas uma chapa inscrita, que segue no edital, abaixo e publicado em jornal de grande circulação no dia 11 de setembro de 2019. 

SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RADIODIFUSÃO E TELEVISÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

Eleições Sindicais – Publicação de Chapa Inscrita para o Processo Eleitoral do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo.  A Comissão Eleitoral eleita em assembleia realizada em 31 de agosto de 2019, comunica que, no prazo estabelecido para inscrição de chapas, conforme edital publicado nos jornais Folha de São Paulo e Diário Oficial do Estado, ambos na edição de 03 de setembro de 2019, foi registrada uma única chapa denominada “Chapa dos Radialistas em Defesa do emprego, direitos e melhores condições de trabalho – Intersindical”, sendo designada Chapa 01, para concorrer às eleições sindicais do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, para o triênio 2019-2022, composta conforme segue: Diretoria Executiva: Sérgio Ipoldo Guimarães, José Marcos Posca, Antonio Francisco Silva, Hegberto Paschoa Balboni, José Araujo Nascimento, José Luiz Foga e Maurício Gonçalves; Suplentes: João dos Reis, Nadir Donizete de Oliveira Jacob, Antônio Sergio Moreira, William Ribeiro Gomes, Wilson Santiago Mercês, Ademir Gomes dos Santos e Bruno Fernando Pereira Nunes; Conselho Fiscal: Laerte Aparecido Parente, José Carlos Rodrigues Alves e Cristiano Santos Machado; Suplentes: Edson Amaral, Adenir Dias Da Rocha e Gilberto Ludugerio dos Santos Filho; Representantes às Entidades Superiores: José Ricardo Silvestroni e Josué Brito dos Santos; Suplentes: Lindolfo Melo da Silva Junior e Luiz Otavio da Silva; Diretores Regionais: Odair José Rossato, Renan Luís de Almeida Orício, Robson Hiroshi Barbosa Shimizu, Gilberto Balbino, Wilson de Oliveira, Alexsandro Franco da Rocha; Suplentes: João Luiz Ferreira, José Carlos Batista, José Marcos de Souza, José Loureiro, Carlos César Cecílio Ramos e Alexandre Samuel Oleto. Fica aberto o prazo para impugnação de candidaturas do dia 11 ao dia 16 de setembro de 2019 para oferecimento de impugnação. São Paulo, 11 de setembro de 2019. Comissão Eleitoral.

Sem convenção coletiva, categoria se mobiliza para garantir acordo coletivo com as empresas

Acordo coletivo é individual, com as empresas e, dessa forma, garante a renovação dos direitos dos radialistas, que integram a convenção coletiva

Mais uma TV assina acordo coletivo

TV Novo Tempo se soma a TV Mundial e assina acordo coletivo com o Sindicato dos Radialistas. Diversas emissoras de rádio também estão na fila, para fugir da sinuca de bico que o patronal está enfiando nas emissoras, por capricho da Rede Globo de Televisão. Antevendo pagamento de conta salgada, direção das emissoras assinam acordo coletivo para dar normalidade as relações profissionais com seus trabalhadores e não serem prejudicadas pelo sindicato patronal, que está a mando da Rede Globo.

EPTVs aplicam reajustes

As EPTVs, afiliadas do grupo Globo, estão fazendo o pagamento do retroativo (2,5% em maio de 2018) e agora 5,07%, que bem poderia estar acompanhado da assinatura do acordo coletivo, dessa forma já garantem, também, o pagamento do PR aos seus trabalhadores, que padecem sem o PR, por conta da teimosia da Globo. 

Com o impasse com o sindicato patronal, a opção de assinatura do acordo coletivo para as empresas, fornece segurança jurídica e financeira, para continuidade das relações profissionais com seus trabalhadores. Além de não deixar acumular percentuais de reajustes sobre salário e benefícios que, somado com PRs/ abonos, se transformam numa “grande dor de cabeça” para as empresas.

Assembleia dos Radialistas dá início ao processo eleitoral do Sindicato

No último sábado (31/08), radialistas do interior e capital compareceram em peso na assembleia convocada pelo Sindicato dos Radialistas, para garantir o cumprimento do estatuto da entidade, em que determina a abertura do processo eleitoral, com aprovação do regimento eleitoral e eleição da comissão eleitoral.

Sindicalizados e em dia com obrigações estatutárias podem participar desde que tenham no mínimo um ano de categoria e seis meses de sindicalização, conforme descrito no estatuto. A partir desta data qualquer trabalhador da categoria, sindicalizado e em dia com suas obrigações estatutárias poderá votar e ser votado durante as eleições, em que o regimento eleitoral, aprovado na assembleia, deverá ser cumprindo.A participação como candidato só será possível através de uma chapa que estiver dentro das conformidades estabelecidas pelo regimento interno aprovado e pela comissão agora instituída.

O período para inscrição vai do dia 03 a 10 de stembro deste ano.

Todos os radialistas sindicalizados e com suas obrigações estatutárias estão convocados a, no mínimo, participar. Como candidato ou como eleitor o trabalhador fortalece sua entidade de classe.